quinta-feira, janeiro 15, 2009

CINEREVIEW #5 - Ainda AUSTRÁLIA

Photobucket
O problema de Austrália foi, quanto a mim, ser um filme normal. Não é que o film seja mau. Simplesmente tem Baz Luhrmann escrito nos créditos. Aí já é outra história.
Quando se fala em Baz Luhrmann, vem-nos logo à cabeça loucura, espectáculo, teatralidade, exagero, drama, comédia, música, arte, e acima de tudo, cinema. Uma referência importante do cinema contemporâneo e ele próprio faz um elogio ao cinema e às suas referências.
Aliás, o trabalho de Baz tem sido feito de referências: Romeo e Julieta, um romance moderno adaptado da obra literária de Shakespeare ou Moulin Rouge!, um renovado musical com todos os grandes hits do séc. XX reciclados.
Mas o grande dom de Baz é precisamente a sua capacidade de adaptar histórias e referências culturais ao seu próprio estilo sem medo de chegar a exageros; quando é dramático é assumidamente dramático; quando opta por uma cena mais cómica, cria a situação mais hilariante possível. Tudo misturado, é um festim e loucura de um filme único.
Austrália sofre do problema de nunca chegar a nenhum destes exageros. Apenas o exagero de 3 horas. 
As referências a outros romances épicos cinematográficos estão lá, mas Baz leva-se demasiado a sério, tornando o filme normal (e cansativo para quem conhece o fulgor e energia dos filmes anteriores).
Lembro-me que ainda houve momentos no início (quando o par romântico se conhece e caminham ao lado dos cangurus) em que o seu estilo inconfundível tava quase quase a começar, mas rapidamente era quebrado por uma outra situação levada mais a sério.
Baz acaba por ir contra àquilo que nos fez gostar dele. O que ele faz é o seu cinema-espectáculo ao vivo, com os seus defeitos e exageros, emoções máximas, diálogos e situações caricatas sem nunca perder a força. Não é um mero realizador para filmar paisagens (lindíssimas por sinal), e diálogos chochos atrás da árvore durante 10 minutos.
Para romances normais, já temos Hollywood.
Desculpem, mas ainda não tinha dissertado sobre o filme.

nota: 2/5

cena-chave: a corrida dos cangurus e os gritos de Nicole Kidman, e todas as paisagens de Austrália.

2 comentários:

Anónimo disse...

não tens de quê, estás à vontade

Andy disse...

nem mais!