domingo, março 08, 2009

A mão, o rato e extensões epidérmicas virtuais

Quando projecto, o maior entusiasmo é discutir, pensar, antever, criar, propor na mesa, inventar, estupidificar, e maquetar. É na maqueta que as minhas soluções surgem.
A pior parte e a que mais odeio é desenhar no computador. Um rato é uma linha de separação entre o acto voluntário e espontâneo do trabalho de uma mão e a representação virtual de um gesto que realmente se quer desenhar.
É tão frustrante.
Podíamos ter uma espécie de nanotecnologia epidérmica na pontinha dos dedos que permitisse passar todo o gesto natural para o computador.
Era tão mais fácil.

1 comentário:

Fipa disse...

a quem o dizes!!!

e respondendo ao teu comment:
sim...a 2ª temporada é a melhor, sem dúvida! amei os últimos episódios e a banda sonora, então...ui...ando a ver se consigo fazer a compilação completa ;)
em relação ao lost...concordo plenamente contigo, mas não deixo de ser viciada na mesma :)

bjo