terça-feira, janeiro 05, 2010

Eu propunha isto

Photobucket
Já sei que isto pode vir a ser polémico ou de ACESO debate, mas lembram-se das obras da requalificação da rotunda em que tínhamos de circular dentro dos jardins?
Eu ficava fascinado quando fazia esse percurso. Por ser diferente claro, mas também porque fazíamos a rotunda sem paragens (não havia semáforos), e o monumento aos Heróis da Guerra Peninsular ganhou um novo destaque.
Outra situação (que já havia referenciado) é a do potencial da Boavista (e respectiva avenida).
Se eu pudesse faria o que esbocei na imagem:

a. passar o trânsito automóvel para o anel interior junto ao monumento, e o anel de trânsito actual passaria a grandes passeios pedonais unidos aos jardins. resulta em esplanadas e contacto directo com os jardins raramente atravessados;

b. das 40 mil faixas da Avenida França tratavam-se duas ou três como um passeio largo até à estação de metro, que poderia inclusivé receber o metro de superfície que faria o circuito da Avenida da Boavista (marquei a vermelho);

c. e claro, propostas para os vazios urbanos actuais..

d. Este tratamento prolongar-se-ia pela Avenida até.. onde desse.. Mas havendo metro, ou qq merda à superfície é possível criar diferentes zonas com características diferentes que façam deste pólo do Porto alguma coisa que valha a pena. Vá lá!
Eu apoio a Baixa e todo o centro histórico, mas também há outros lados do Porto que precisam urgentemente de "reabilitação". A baixa já está praticamente re-feita. Bem ou mal, já está. Agora, vamo-nos virar para o outro lado e tornar esta cidade aprazível a quem mora nela e a quem a visita..
será que existe algum projecto assim? Ou ideias para a Rotunda? Ou acham que não precisa disso e está tudo muito bem como está? (bah..)

9 comentários:

LULU disse...

debate ACESO! ACESO! ou era mesmo suposto ser acesso? é que de certa forma tambem funciona.

Esta muito boa esta ideia. Faz todo o sentido. Principalmente a ideia dos grandes passeios pedonais que faziam a ligaçao entre os cafes circundantes a rotunda e os jardins: LINDO! E concordo perfeitamente com a oposiçao baixa/boavista. A baixa tem o seu encanto, mas o Porto precisa de crescer. E um espaço com uma escala maior, mais cosmopolita, menos introvertido so vinha dar ainda mais valor a baixa, a meu ver. LINDO LINDO! bora fazer uns renders bonitinhos disto. :D

trigo disse...

por acaso também era fã daquele percurso interno pelo meio da rotunda, parecia que estava a participar na corrida de clássicos ou coisa do género. acho a ideia bastante fixe mas esse anel interior, que tu dizes que seria a nova rotunda, parece-me que não tem tamanho suficiente para receber todo aquele trânsito. o diâmetro de uma rotunda é calculado tendo em conta o trânsito que recebe. diminuindo o anel ias congestionar (ainda mais) todas as vias de acesso que vão dar à rotunda. acho que não devia funcionar muito bem, mas se calhar...
e já agora podias incluir a casa de chá do souto moura projectada ali para o meio, e também o percurso subterraneo que faz a ligação à estação de metro casa da música.

Loiro disse...

Kiko deixaste o teu desejo de 2009 de ser electrecista para seres jardineiro em 2010? agora a sério, não me lembro desse percurso interior, mas parece-me interessante a ideia apesar de levantar questões fundamentais como a escala dessa mini-rotunda em absorver a força dessas grandes artérias da cidade, e a de rebentar com a unidade dos gomos que passam a "gominhos" verdes com carros , motas e autocarros a passarem á minha volta enquanto estou numa esplanda em frente ao antigo e degradado centro comercial brasília. Contudo, repetindo, acho qué um conceito a ter em conta.

francesquinho disse...

Trigo Joana, Hugo, grato em ouvi-los!

Trigo, só conheço aquele projecto do Siza.. não sei se é esse que tás a falar.. mas existindo em projecto achei que não valia a pena estar a questionar porque terá (quase obrigatoriamente) de ser uma solução para a dinamização dos jardins..

Hugo, respondendo à sua crítica:
Nunca foi meu desejo ser ELECTRICISTA nem jardineiro. Sempre foi meu desejo ser arquitecto.. e um arquitecto deve ser de tudo até; (ou pelo menos ter visão global; há uma frase célebre que diz qualquer coisa como "um engenheiro é alguém que sabe muito de uma coisa; o arquitecto é aquele que sabe pouco, mas de tudo")..
Relativamente à pressão do tráfego: também coloquei essa questão obviamente, mas acho que resultaria por duas razões:
primeiro porque a rotunda não tem assim tanto tráfego quanto se pensa: Não me lembro sequer de ficar alguma vez congestionado. Isto porquê? tens o metro mesmo à beira; uma boa rede de autocarros nessa zona; a grande maioria trabalha na baixa ou avenida e nas horas de ponta, vai para VCIs periferia, nunca necessitando de usar a rotunda.
Segunda, na continuação da pressão, as "grandes artérias" que levam à rotunda são apenas duas:
5 de Outubro, Júlio Dinis (e de vez em quando a nossa senhora fátima vá..); 3 em 8 serão realmente importantes... Aliás, e haveria menos se houvessem alternativas para nem sequer ir à rotunda (isto sim, é um novo ponto de projecto, perceber quais os caminhos alternativos para libertar ainda mais o fluxo).

Ou seja: para mim era urgente a dinamização da rotunda/boavista e esta poderia ser uma solução. Claro que tens um Brasília (que para ti é horrível, mas o quarteirão, em questões urbanas é talvez o mais harmonioso e consistente do conjunto a par do de Júlio Dinis).. mas se essa "reabilitação" surgisse (que já tem na casa da música e metro uma óptima iniciativa), terias uma nova arquitectura "bonita" para apreciar pedonalmente em vez do "carro chato e rápido que só quer ir ali e se tá a cagar pá arquitectura".. Tu quando visitas outros países vais de carro ou usas o metro e gostas de ter a experiência a pé?.. O Brasília, assim de repente até se podia tornar no tal El Corte Ingles da rotunda num processo de reabilitação..

O problema que continua será portanto a dimensão do anel interior para tráfego, se realmente é muito "pequeno".. falo que quando tive a experiencia a atravessar no meio dos jardins não senti isso..

O gominho que me irrita é o da casa da música, esse fica gominho, mas os outros têm escala. Mas, sei lá,.. é uma maneira de levar a merda do verde para junto uso VERDADEIRO do público, nao uma merda paisagista que ninguém usa ou atravessa.. Terias brutas árvores, poderias ainda ter mais se fizeres esplanadas, não havia carros a interferir nos grandes passeios, poderias ter "boa" arquitectura na envolvente, um bom programa ao rés-chão... sei lá.. é das rotundas mais bonitas em termos urbanos mas o "bonito" não chega, há que ser útil.. para montra já temos coisas que cheguem no catálogo.. há que viver esses espaços..

está "acesso" o debate

francesquinho disse...

aliás, fiquei agora a matutar na casa de chá e acho que nem seria necesário recorrer a isso se se requalificasse a envolvente com um bom rés chao. e assim permaneciam as árvores e jardins centenários..

ups disse...

"primeiro porque a rotunda não tem assim tanto tráfego quanto se pensa: Não me lembro sequer de ficar alguma vez congestionado. Isto porquê? tens o metro mesmo à beira; uma boa rede de autocarros nessa zona; a grande maioria trabalha na baixa ou avenida e nas horas de ponta, vai para VCIs periferia, nunca necessitando de usar a rotunda. "

??????????????????????????

acho que antes de opinar sobre soluções que considera boas (e acho muito bem que o faça!!!) primeiro tenha a preocupação em viver a cidade às horas a que o cidadão normal a vive: não de madrugada ou à hora de almoço!

E as cidades cosmopolitas e desenvolvidas por esse mundo fora, primeiro preocupam-se em criar condições para os seus cidadãos usufruirem da cidade, como transportes em condições que a nossa NÃO TEM, e só depois com as (f)utilidades arquitectonicas!

Loiro disse...

Kiko,
não vou perder tempo em reponder à resposta a mim dirigida enquanto não descontraires um bocadinho.
Mas voltando ao assunto:
Não poderá ser um erro, pensares que essa solução é viável em questões de mobilidade pelo facto de existirem possiveis alternativas?há algum tempo assisti a um episódio do querido mudei a casa, e apesar da clara opinião que tenho sobre aquele tipo de programas, reparei que nunca são mostradas imagens do resto da casa, além da evidente divisão onde os senhores "artistas" e os"queridos" (que são mais que as mães) vão pôr os sofás e pintar as paredes. o que é aquele espaço? o espaço dos sonhos?onde as pessoas vão lá descansar depois da merda do dia que tiveram, e pensar que ainda existe uma pequena maravilha nas suas vidas?
o arquitecto não deve criar maravilhas, senão as pessoas ficam mal habituadas, e depois o trabalho do arquitecto passará tristemente a ser encarado como "(f)utilidades arquitectonicas"(citando "ups")
voltando à tua ideia, e espero que leves a mal o que vou dizer: é certo que não encontraste a pólvora da tua solução (como ás vezes o teu discurso parece induzir)até porque parece que ainda não percebeste bem qual é o problema que tencionas resolver, no entanto penso quue levantado um conjunto de premissas interessantes sobre parte da cidade do Porto nos últimos tempos, e parece-me evidente que vais organizar bem essas questões. ZOOM OUT!
ah!e deixemos os desejos de ser qualquer coisa para o sapatinho do ano que vem.

LULU disse...

oh... my... dear... god...

bahahahaha

Ricardo disse...

oh... my... dear... god... [2]

Vinha aqui dizer umas coisas parecidas às que a Joana disse, menos os "LINDO's" entusiásticos. Acho que devias aparecer com maquete. Voto nos renders bonitinhos. Não me parece que conseguisses fechar completamente o anel exterior ao trânsito automóvel, mas podias safar-te com um trânsito condicionado.
Tens é que fazer zoom out, e pensar na rua/avenida como um todo (da praça da republica até ao castelo do queijo) também, assim como à envolvente. Não digo em termos de design, mas teoricamente devia ser um território a abordar - ou cair-se-ia num erro autista de puro design urbano à escala mezzo.
Eu fiz o workshop streetworks com o povo de Amesterdão que contemplava toda a avenida. Eles continuaram a trabalhar sobre a avenida no resto do semestre passado, mas só 2 me enviaram os cartazes finais..