segunda-feira, abril 14, 2008

EXODUS

Apesar de só terminar na próxima sexta-feira com o trabalho individual, hoje foi como se fosse o último dia do workshop intensivo de cinema e arquitectura.
Ou, quem sabe, o primeiro do mundo cinematográfico.
Fui realizador durante três dias intensivos.
Para se fazer um filme, não basta filmar, passar tudo para o computador, editar, meter uns efeitos e música de fundo, como eu costumo fazer.
Fazer um filme é trabalhar em equipa, divertirmo-nos com o que fazemos, apaixonarmo-nos e acima de tudo transmitir algo ao espectador.
Para fazer um filme é necessário alguém que escreva, alguém que filme, alguém que trate do som, alguém que edite: o writer, o storyboarder, o producer, o editor, o cinematographer, os actors, e por fim o director. Todos essenciais nas suas funções.
Não fui realizador.
Aprendi o que era ser-se realizador.
E cheguei ao objectivo que queria.
Venha o próximo!